Representantes da indústria da construção se reúnem para debater inovação e produtividade

Minascon realiza sua primeira edição virtual até 19/11. Todos os eventos são gratuitos

O ano de 2020 trouxe vários desafios para a humanidade com reflexos no sistema de saúde de vários países e também na economia global. Mesmo com tantas dificuldades, o setor da construção civil conseguiu superar obstáculos e trouxe um respiro para a economia brasileira com a geração de empregos e renda, especialmente em Minas Gerais. Nesse contexto de desafios e necessidade de inovação, o Minascon, tradicional evento do setor, traz uma intensa e completa programação em um novo formato: 100% digital.

“O Minascon traz o conhecimento para diversos profissionais. O objetivo desse evento é ajudar as empresas a darem um salto de produtividade, contribuindo para gerar renda para nossa sociedade. Vejo a construção civil como um segmento que vai redimensionar a indústria e a economia brasileira.”, afirmou o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, durante a abertura oficial da 17ª edição do Minascon.

Em Minas Gerais, nos primeiros oito meses do ano, a construção civil foi o setor que mais gerou novas vagas com carteira assinada, foram 16.911. Em Belo Horizonte, a construção civil foi o único setor, no período de janeiro a agosto/20, que registrou resultados positivos no mercado de trabalho. Foram criados 3.346 novos postos de trabalho formais. Toda essa robustez do setor foi destacada pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema. Segundo ele, o poder público tem o dever de estimular os empreendimentos.

“O governo do estado não pode dificultar qualquer empreendimento que gere trabalho, pois a dignidade só será obtida com um emprego que pague o sustento do cidadão. A construção representa grandes oportunidades para caminharmos para esse futuro”, reforçou o governador de Minas Gerais.

Potencial para inovar e produzir
Durante a abertura, Jeferson de Paula, CEO da Arcelormittal Aços Longos Latam e Mineração Brasil, empresa patrocinadora do evento, contou que há espaço para inovação no setor. Segundo ele, a tecnologia é parceira importante nesse processo. “A construção tem potencial para melhorar 50%, desde que adotadas boas práticas, novos conceitos e que se invista em tecnologia. A industrialização, a automação, a utilização de inteligência artificial, são algumas ações para aumentar a produtividade”, exemplificou o CEO.

Fruto da união entre a FIEMG e o Sebrae Minas, o evento reúne representantes de toda a cadeia produtiva da construção com o objetivo de promover negócios. “Queremos trazer uma experiência interessante, em que as pessoas vão sentir a vitalidade do setor. Estamos trazendo muita gente de fora e essa edição virtual nos deu oportunidade de ter mais de 11 países diferentes dentro do Brasil e de Minas Gerais”, celebrou Teodomiro Diniz Camargos, vice-presidente da FIEMG.

“Essa edição vai ficar na história e certamente vamos levar todo o aprendizado sobre como fazer um evento remoto”, contou o superintendente do Sebrae Minas, Afonso Maria Rocha, que destacou também a grandiosidade do setor. “Muito se fala do agronegócio, mas o saldo positivo de vagas da construção foi superior”, reforçou Rocha.

Cidades Inteligentes
O escritor e especialista em cidades sustentáveis Renato de Castro mediou a mesa redonda com o tema do momento: Cidades Inteligentes. “Minha definição de cidades inteligentes era, basicamente, um lugar onde tudo conspira para fazer sua vida melhor. Agora, vemos essencialmente que é preciso ter cidades mais resilientes’, iniciou.

Castro apresentou três tendências que, segundo ele, estão em alta, especialmente durante a pandemia. “Primeiro percebemos a tendência a pensar menos no global e focarmos no local. Uma segunda tendência é hipertecnologia, com soluções voltadas cada vez mais para a vida do cidadão. A última tendência é a importância do protagonismo das nossas cidades”, apontou.

O mediador trouxe um recado de Jonathan Reichental, CEO, professor e autor do Vale do Silício, que enviou um vídeo especialmente para a audiência mineira. “É essencial termos resiliência, nós não estávamos preparados para a pandemia e essa não será a última”.

Participaram como debates o presidente da Associação Brasileira De Cimento Portland (ABCP Nacional) e do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento, Paulo Camillo Penna, o vice-presidente da FIEMG, Teodomiro Diniz Camargos, e o CEO da Arcelormittal Aços Longos Latam e Mineração Brasil, Jeferson De Paula.

Minascon
A programação do evento continua até o dia 19. São centenas de palestras, workshops e feiras virtuais em um mesmo endereço, 100% gratuitos. Ainda dá tempo de garantir sua participação. Mais informações e inscrições em www.minascon.com.br